Vamos orar?

Graça e Paz amados!

Gostaríamos de compartilhar com todos, as recentes notícias recebidas sobre a perseguição de nossos irmãos na África, para que possamos levantar um clamor em favor deles.

Acabamos de receber uma mensagem urgente da Junta de Missões Mundiais pedindo orações pelo Senegal, uma igreja acabou de ser incendiada e vários cristãos estão sendo mortos.

“E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.” (2 Timóteo 3:12)

 

 

Além disso, segundo o site Christian News Today, há relatos de que no Sudão, agentes da inteligência militar mataram um cristão, após militantes islâmicos simpatizantes do governo terem atacado igrejas em Kordofan, ao Sul do país.Segundo agências de notícias, no dia 8 de junho, testemunhas relataram que as Forças Armadas do Sudão (SAF) atiraram no seminarista Nimeri Kalo Philip, do seminário de St. Paul, na frente dos pedestres, em Kadugli, próximo ao portão da Missão das Nações Unidas no Sudão (MINUS). Kalo e outros crsitãos fugiam da cidade, após as milícias muçulmanas leais às SAF terem atacado pelo  menos três igrejas na região. Há informações que nesta mesma data, segundo fontes, de que militantes islâmicos ligados às SAF abateram um jovem cristão com uma espada em um mercado em Kadugli. As mílicias islâmicas atacaram uma igreja por ouvirem os gritos de “Deus é maior”. Dispararam contra a igreja, mas ninguém foi atingido, entretanto, os agentes prenderam o reverendo James Abraham na frente da congregação.

Ele foi levado e torturado durante dois dias, de acordo com um sacerdote.Em 8 de junho ainda, a SAF e milícias islâmicas atearam fogo em duas igrejas, a Igreja Episcopal do Sudão e a Igreja de Cristo no Sudão. “As igrejas e os pastores eram os alvos visados”, disse o bispo Andudu Adam.

A mídia diz que os combates, incluindo bombardeios e artilharia, entre o exército das SAF e o Exército Popular de Libertação do Sudão (SPLA), tem sido relatados em 11 das 19 localidades do estado de Kordofan.

Outro país pelos quais devemos orar é a Nigéria.

O presidente da república, Goodluck Jonathan, que é do Sul do país, onde a maioria é cristã, assumiu o poder em 29 de maio. Porém, a população do país é em sua maioria muçulmana. O país está sofrendo uma série de atentados, e o Boko Haram, grupo militante islâmico que luta pela imposição da Sharia (lei islâmica) e pela implantação de um estado islâmico, tem sido apontado como principal responsável por esses atentados. 

O grupo é considerado a maior ameaça a segurança do país, por coordenar atentados em três cidades, após a posse de Jonathan. O Boko Haram também assumiu a autoria de um atentado praticado em 16 de junho, na sede da polícia federal nigeriana em Abuja, capital do país, em que atacaram líderes religiosos, políticos e soldados, segundo informações.

Atentados constantes têm ocorrido em Maiduiguri, no estado de Borno, que já é governado pela lei da Sharia, assim como outros 11 estados ao norte do país. O governo da Nigéria vem tentando um diálogo com o Boko Haram, mas o grupo está sem liderança no momento. O presidente Jonathan chegou a iniciar conversas com o grupo a fim de um cessar fogo, mas desavenças com a polícia nacional causaram o fim das conversas.

O Boko Haram, que significa “cultura ocidental pecaminosa”, existia à margem da sociedade muçulmana da Nigéria, mas a pobreza e a educação ruim têm aumentado a influência do grupo no norte do país, que possui ideologia islâmica extremista.

Enfim, amados, estas são as notícias que temos recebido.Sabemos que “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos (…) Sabendo que o que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também por Jesus, e nos apresentará convosco. (…) Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (2Co.4:8-10, 14, 17-18).

Levantemos um clamor, povo do Senhor, por nossos irmãos!

“Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;” (Mateus 5:10)