Seja um Pacificador

No sermão do monte Jesus disse: “Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus” Mateus 5:9

Estamos inseridos num mundo de muitas variedades e diferentes personalidades. Por vezes, nos sentimos desafiados a entender a personalidade das pessoas que estão mais próximas de cada um de nós e erramos no diagnóstico que traçamos desta ou daquela pessoa. Porque isso ocorre?

Nossos olhos estão sempre inclinados a perceber mais os aspectos negativos que positivos da personalidade dos outros e nos esquecemos que todo ser é dotado de pontos fortes, como também, de pontos fracos.

O desafio é nos tornarmos pessoas cada vez melhores observando e dando mais valor aos aspectos positivos dos nossos familiares. Somos melhorados na medida em que permitimos Deus trabalhar em nossas vidas e moldar nossa personalidade. Lembre-se estamos em construção até chegarmos a estatura de varão perfeito, que não vai ser aqui nessa vida. Por isso, precisamos ser promotores da paz.

Todo pacificador possui características distintas dos demais, tais como: brandura, calma, serenidade, tranquilidade, centralidade  e equilibrio. O comportamento de  tais  pessoas é normalmente agradável, misericordioso, cheio de afeto natural, com considerações tranquilas. Tais pessoas dificilmente se mostram agitadas, explosivas, impacientes, evitam conflitos e  pouco exprimem raiva e ira.

No seio familiar todo pacificador percebe conflitos e consegue contorná-los com maestria, porque ele pouco revela das suas emoções, suas palavras são sempre comedidas. Seu princípio de vida está baseado na palavra que diz: “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. Provérbios 15:1 . É como um jogo de frescobol que a bola vem ruim, mas o jogador se esforça para ela não cair. Bem diferente do jogo de vôlei que o jogador faz de tudo para colocar a bola no chão e acabar com a jogada. “Ganha a discussão”, quem sai perdendo é o conjuge, o filho(a) em fim, toda família.

Como é agradável viver com pessoas na família que nutrem esse conceito de viver de forma pacífica e harmônica. O contrário também é verdade! Tornar-se sofrível.

Marido seja pacificador na sua casa. Esposa levante o estandarte da paz na sua família. Filhos abeçoem seus lares com atitudes promotoras de quietude.

Seja brando. Pense duas vezes antes da falar. Faça uma empatia. Reconsidere o que outro fala. Não caia em extremos ou responda no mesmo “tom” para se vingar.

Restitua  a paz que está em falta na sua casa. Você é o agente de mudança no seio da sua família. Creia nisso! Se você quer ser chamado de filho de Deus seja um pacificador.

Entre ser feliz ou ter razão, por vezes é melhor ser feliz do que ter razão.