Quando não doem as pedras no sapato

O jovem foi pedir conselho a um pastor experimentado (Elton Rangel), em função de um problema que enfrentava. Ele nunca esqueceu a resposta:

— Quando estamos de joelho, as pedras no sapato não doem.

Quando o jovem, depois também um pastor, lembrou a frase, eu me lembrei do meu pai: orar de joelhos era o seu estilo.

Meu pai tinha sérios problemas nos joelhos, tanto que, para orar, em casa ou na igreja, carregava uma discreta almofada. Ele nunca me disse, mas devia gemer sobre o seu genuflexório.

Diante da dor de se ajoelhar, não doíam as pedras nos seus sapatos.

Mas esta não é a única razão, porque nem todos sofrem do mesmo mal.

Quando estamos de joelhos, estamos tão concentrados em Deus que as pedras nos sapatos são dores dissipadas; são dores que não são suficientes para nos incomodar.

Quando estamos de joelhos diante de Deus, nosso coração toca o céu; pedras no sapato tocam apenas o chão.

Quando estamos de joelhos diante de Deus, nossa vida sobe em direção ao alto; pedras no sapato são circunstâncias que não nos regem.

Fonte: Prazer da palavra