O le√£o e o cordeiro

‚ÄúVoc√™ acha que o le√£o estava dormindo porque n√£o rugiu?”. (Friedrich Schiller)

O le√£o e o cordeiro

Dentro de nós habitam o leão e o cordeiro.
Gostar√≠amos de imaginar que s√≥ o cordeiro nos habitasse e f√īssemos sempre mansos, calmos e pac√≠ficos.
Quando nos miramos no espelho da realidade, vemos assentado o le√£o no seu lugar pronto para atacar.
Em nós moram o bem e o mal.
Amamos e odiamos, às vezes no mesmo dia, às vezes à mesma pessoa.
Vivemos com o que ganhamos e desejamos tomar o que pertence ao outro, pelo engano ou pela for√ßa se nos for √ļtil.
Louvamos a Deus com pureza e tentamos manipul√°-lo para que sirva aos nossos interesses.
Amamos a vida mas cortejamos a morte, correndo riscos desnecessários longe do cuidado, permitindo que os vícios nos carreguem para fora da virtude, exaltando a guerra em prejuízo da paz, preferindo a violência à fraternidade.
Quanto às pessoas, pensamos bem e mal delas, falamos bem e mal delas, numa espécie de diversão que corre no trilho do sofrimento do outro.
Não adianta negarmos a realidade desta densa e dramática ambivalência.
O que precisamos é decidir quem nos dominará: se o leão ou se o cordeiro.
Depois o Espírito Santo de Deus nos ajudará a pastorear os animais no campo do nosso coração, para que de nós se apresentem a verdade, a harmonia, a honestidade, a caridade, o autocontrole, a compaixão e o perdão.

‚ÄúQue n√£o haja no meio de voc√™s qualquer amargura, indigna√ß√£o, ira, gritaria e blasf√™mia, bem como qualquer maldade‚ÄĚ. (Ef√©sios 4.31)

Reproduzido do site PRAZER DA PALAVRA, de Israel Belo de Azevedo, que pode ser ser acessado em www.prazerdapalavra.com.br.

Habilidades

Postado em

24/12/2018