Culto Missionário revela o que Deus tem feito no Sul da Ásia

Culto Matutino Missôes

Dando continuidade ao mês de missões, a Primeira Igreja Batista de Campo Grande, reunida na manhã do dia 20 de março, adorou ao Senhor sob o tema: Eu Aceito O Desafio.

O pastor Carlos Elias realizou, inicialmente, uma breve entrevista com alguns irmãos para uma Declaração Pública de Profissão de Fé – momento edificante no qual Cristo foi glorificado com testemunhos marcantes.

Na Chamada à adoração, tivemos um belo solo de Clarinete apresentado pelo irmão Caio, um junior membro do ministério infantil, acompanhado pela MM Angelica Miranda. Logo após, a equipe de louvor adorou com o hino “Aclame ao Senhor” e a Ministra de Música orou ao Senhor. Em seguida, o pastor Elber Macharetti – Ministro de Evangelismo e Missões – leu, com toda igreja, o recitativo bíblico em 10.14 e 15.

Como participação musical, sob a regência da irmã Angelica Miranda, tivemos o Coro Viver e Vencer, formado pelos membros da Terceira Idade PIBCG, com a apresentação dos hinos: Há um Canto em Meu Ser e Se Meu Povo Orar.

O pastor Carlos Elias levantou um clamor com toda igreja contra corrupção e pelos missionários que estão presos ou impedidos de anunciarem o Evangelho em vários países.

Após a apresentação de um vídeo da Junta de Missões Mundiais, a igreja fez as entregas dos dízimos e ofertas missionárias acompanhada pelo hino oficial da Campanha de Missões Mundiais: Leve Esperança. A mensagem musical ficou por conta do Quarteto Vitória.

Em seguida, o pastor Elber apresentou o pregador da manhã: o pastor paquistanês Zahid Masih (interpretado pelo irmão João Luiz Lima, pois a mensagem foi ministrada em inglês).

Com a apresentação de uma animação com fotos, o pastor Zahid fez um breve resumo do seu ministério evangelístico e social no Paquistão. Pastor de quatro igrejas e responsável por duas escolas na região de Faisalabad, deu o seu testemunho acerca dos acontecimentos da perseguição aos cristãos e do apoio dado pela igreja local aos cristãos, seus filhos e órfãos dos ataques ao Talibã.

Baseado no texto que está escrito em Mateus 10.23, 24, 38 e 39, podemos entender que tudo pode mudar, mas Jesus não muda; Ele é o mesmo em todos os lugares, tanto no Brasil como no Paquistão.

“Quando tomamos a Ceia do Senhor, tomamos o vinho, que representa o sangue de Jesus. Quando comemos o Pão, comemos do corpo de Jesus, pois ele entregou o próprio corpo e o Seu sangue por nós; mas, quando Jesus nos pede o nosso corpo e o nosso sangue de volta, dizemos “Não, meu corpo não, meu sangue não!” Precisamos de uma fé forte em Jesus para podermos fazer tudo em nome Dele.” Declarou.

Usando o exemplo da mulher que esteve doente por 12 anos e tocou em Jesus com fé, em Marcos 5.25-34, o pregador afirmou que todos os que tocassem com fé em Jesus seriam abençoados para realizar a grande obra. Lembrando a oração de Jonas, feita de dentro da barriga do peixe, o pastor Zahid afirma que a opção de ficar no Brasil seria muito mais fácil para ele e toda a sua família, mas Deus é dono do seu corpo e do seu sangue. Ele prefere obedecer a Deus e continuar a obra missionária no Paquistão.

Ao final da Mensagem, o pastor Carlos Elias convocou a todos que desejassem se comprometer a orar pelo ministério no Paquistão que viessem à frente para uma oração especial. Os pastores, ajoelhados ao redor do pastor Zahid, e os intercessores, de mãos estendidas, oraram ao Senhor e com a bênção apostólica o culto terminou com o canto do hino “Rompendo em Fé”.

Texto: Diácono Newton Cezar.

Compartilhe: