O horário de verão termina neste sábado 19/02/2011

Você que não quer ficar confuso com o fuso horário, não quer perder os horários da EBD e dos cultos no domingo próximo, fique atento, pois o horário de verão termina neste sábado. Na noite deste sábado dia 19 de fevereiro você deve atrasar seu relógio em 01 hora.

Com alta no consumo de energia, horário de verão é indispensável

O horário de verão termina neste sábado, quando à meia-noite os relógios deverão ser atrasados em uma hora. Durante 126 dias de vigência, o intuito foi reduzir o consumo de energia elétrica e modificar o horário de pico na transmissão energética.

Sem esta alteração temporária no relógio, segundo a CPFL Paulista, o País não teria capacidade para manter o fornecimento durante o verão, quando o consumo alcança patamares mais altos. “A cada ano, o consumo de energia aumenta, acompanhando o crescimento populacional. Ao mesmo tempo, nos últimos anos, o fato de as pessoas adquirirem todo tipo de novidade em aparelhos tecnológicos também proporcionou o uso mais intenso de energia”, avalia Luiz Antônio de Campos, gerente do poder público da CPFL.

Ainda que considere que o aumento da renda da classe média não tenha representado um incremento considerável na eletricidade utilizada, Campos salienta que o horário de verão, contrariamente ao que analisam segmentos da indústria e comércio, tem seu efeito testado sobre a redução do consumo. “Ainda que as atividades comerciais e industriais habitualmente diminuam nesta época, os registros históricos da CPFL apontam que o verão é a época recorde de consumo. Mas com o horário de verão, a economia proporcionada, ao menos nos últimos cinco anos, se manteve entre 0,7% e 1% em relação a anos anteriores, o que é um bom índice”, pondera.

De acordo com a companhia distribuidora, durante o horário de verão ocorre melhor aproveitamento da luz solar, já que a defasagem de uma hora torna os dias mais longos. E a economia de luz elétrica proporcionada pela mudança é fator fundamental para que haja energia suficiente para dar conta do aumento da demanda para o funcionamento de outros equipamentos.

“No verão, ventiladores e ar condicionado são utilizados com frequência, o que aumenta em muito o consumo. Se o horário de verão não fosse implantado, certamente seria necessária a construção de mais usinas geradoras para dar conta de toda a demanda”, aponta Campos.

Neste ano, a companhia estima contabilizar redução de 0,7% no consumo de energia elétrica total em relação ao ano passado, e ainda uma diminuição de 2% nos horários de pico de transmissão. O montante equivale à economia de 76.300 MW/h nas 234 cidades do Interior paulista atendidas pela CPFL. Segundo a empresa, com a quantidade de energia elétrica poupada, Bauru poderia ser abastecida durante 34 dias ininterruptamente.

No ano passado, a diminuição média também foi de 0,7% em comparação a 2009 com 71.329 MWh de eletricidade poupada. Em 2009, a redução foi de 0,8%; em 2008, de 1%; e, em 2007, de 0,9%

Esta é a 37ª edição do horário de verão no Brasil, adotado pela primeira vez em 1931. De forma consecutiva, a estratégia é aplicada há 26 anos.

Fonte: http://www.jcnet.com.br/detalhe_bairros.php?codigo=201536

Por Tisa Moraes