Ementa – Curso de Pregadores Leigos

Curso de Pregadores Leigos

1-Introdução:

Porta-vozes da Palavra que dá vida.

Tarefa importante- falar em nome de Deus.

Privilégio não dado a anjos.

Pés que anunciam a paz. Isaias52.7

 

2-Objetivo do sermão – alcançar vidas.

         O sermão não é uma discurso.

         Os sermões produzem vida, transformação, ação

         O sermão é pregado com exemplo de vida.

         A vida correta dá autoridade ao que prega.

 

3-. A comunicação e a Pregação

         A comunicação envolve compartilhar ideias, conceitos e

          filosofias de vida para que haja compreensão.

          O segredo é:

·       Saber o que quer dizer.

·       A quem dizer.

·       Como dizer.

·       Quando dizer.

·       Onde dizer.

4-Também a comunicação se preocupa em:

·       Ganhar a atenção dos ouvintes.

·       Despertar a atenção para o assunto proposto.

·       Gerar nos ouvintes o desejo de saber mais.

·       Descobrir o estímulo que motivará seus ouvintes.

5-Na pregação:

·       A dificuldade pode estar no ouvinte.

·       Na mente fechada de quem ouve a mensagem.

·       Dificuldade por causa do orador que usa jargões.

·       Falar rápido.

·       Ou muito devagar.

·       Falar baixo.

·       Tons de voz.

·       Expressões que tiram a atenção.

·       Ideias desorganizadas.

·       Sermões acadêmicos, formais e não pessoais.

·       O caráter do pregador.

·       Arrogância, orgulho, antipatia, incoerência quanto à vida.

A comunicação envolve eficiência, flexibilidade e uma resposta.

·       O sermão é mais do que um discurso.

·       A comunicação cristã envolve base teológica.

·       Capacidade de comunicar a mensagem.

·       O poder da palavra falada.

·       As palavras tem o poder de incentivar, desmotivar, ou transformar. Isaias. 55.11

 

 

6-Homilética:

Definição:

Originado da palavra  grega “homília”  significa a ciência ou a  arte do discurso cristão, que estudam os fundamentos e princípios da preparação de sermões, pois, são frutos de pesquisas e análises ligadas à oratória sacra.

Waltterson Blackood escreveu: “A Homiletica é a ciência cuja a arte é a pregação e cujo resultado é o sermão”.

Homilética:

1.    Estudo

2.    Pesquisa

3.    Organização das ideias

4.    A arte do uso da língua

5.    A arte da língua ligada à pregação do sermão.

6.    A interação com o ouvinte

7.    As caraterísticas pessoais do próprio pregador.

 

Palavras que estão diretamente ligadas à pregação:

·       Falar ou discursar – Elemento pessoal na pregação.Mc2.2 e Jo3.34.

·       Testemunhar – Confirmação da verdade. Elemento de experiência pessoal na pregação.Jo1.7,8 e Ap 1.2

·       Proclamar – Trazer notícias; pregar;  divulgar a mensagem. Palavra mais usada no N.T. Mais de 50 vezes, É o elemento de autoridade na pregação. Lc 8.1 ICo1.23,24.

·       Evangelismo evangelho – Trazer, anunciar, boas-novas. É o elemento evangelístico da pregação.

·       Falar com inspiração – É o elemento da unção do poder do Espírito Santo na pregação.

·       Comunicar – É o elemento de ensino, da instrução ou doutrinação na pregação. Mt 28.20 , At 18.11 e I Tm 6.2 II Tm 2.2

·       Falar sem medo – É o elemento da ousadia na pregação. At9.27.

·       Encher – É elemento de transbordar o mundo com as boas novas do Evangelho. Rm 15.19

·       Implorar; Exortar; Consolar; Suplicar; Fortalecer;Confortar – É o elemento da exortação com encorajamento ou consolação, desafio à ação. ITm 4.13

 

Os pregadores  são:

Evangelistas; profetas; arautos; pastores; mordomos; testemunhas e ministros. At 18.5

 

O LUGAR E A IMPORTÂNCIA DA PREGAÇÃO NA HISTÓRIA DO CRISTIANSMO.

 

A pregação é um dos fundamentos do cristianismo. Lc 24.45-48;  Mc 1.1;  Mc 1.4; Mc 1. 14;  Mc 16.15. -Mc1.38,39.  Lc 4.15, At 6.4, Lc 4.16-21. At 9.22;17.2,3, 18.4,5, 19.8,9; Rm 10.10.15; At 9.15; I Co9. 17; 2Co 5.19; 2Tm 4.2; I Co 9.16 e 2Co 4.2.

 

Em geral as grandes religiões dão ênfase aos ritos e cerimônias. O cristianismo valoriza a pregação em seus cultos de adoração, louvor ou estudo bíblico.

 

Elementos importantes no conteúdo teológico da pregação apostólica:

1.    As promessas cumpridas do VT

 At 2.16;10.43;13.29;32;33.

2.    A vida, os milagres, o ensino, a morte, a ressurreição e a exaltação de Jesus Cristo.

At 2.22-36; 3. 19-21- 26; 4.12; 5.31-32; 10.43;

13. 38,39.

3.    O apelo para o arrependimento e recepção do perdão dos pecados. At 2.38; 3.19-21, 26. 4.12; 5.31-32; 10.43; 13.38,9.

4.    A proclamação da mensagem como meio de tornar os fatos históricos presentes para aquele que ove e crê.

A pregação foi importante no ministério de Jesus e dos apóstolos. João Calvino, João Knox e outros líderes foram grandes pregadores.

A pregação tem ligação com movimentos de avivamento com John Wesley na Inglaterra, George Whitefield, na Inglaterra e América do Norte, os americanos Charles Finney,  Billy Graham, D.L. Moody , Charles Spurgeon, Alexander MacLaren, John Brodus e muitos outros que abençoaram o mundo com a pregação da Palavra de Deus.

Somente aquele que é chamado reconhece o valor da pregação do Evangelho e a ela se dedica integralmente.

O pregador é uma figura secundária na pregação: o conteúdo da mensagem é o principal elemento.

Definições de pregação bíblica do Evangelho.

A pregação é mais do que exposição, exige conhecimento daqueles que vão ouvir a mensagem para que haja uma verdadeira interação.

A pregação exige de quem a pratica uma experiência real com Cristo e uma submissão total ao Espírito Santo.

A pregação tem como objetivo envolver o ouvinte a ponto de sentir satisfeitas as sua necessidades materiais e espirituais.

Tipos de sermões:

1.    Textual –  Tirado do texto. Poucos versículos, 1 a 2.

2.    Expositivo – Os pontos e as divisões tirados de um texto maior de versículos. Básico para qualquer tipo de sermão ou estudo bíblico.

3.    Sermão temático ou de tópicos – Seu desenvolvimento vem do tema do título.

 

Coisas importantes que devem ser evitadas:

Ø Crítico a respeito dos outros

Ø Desânimo por julgar-se incapaz.

Ø Artificialidade.

Ø Valorização excessiva à técnica em lugar do lado espiritual.

Ø Imitação.

Fontes de estudo para preparar e pregar sermões.

o   Livros e artigos relacionados.

o   Sermões encontrados na Palavra de Deus.

o   A vida dos grandes pregadores.

o   Sermões publicados.

o   Sermões ouvidos

Tipos de Crítica:

1.    Construtiva e amigos.

2.    Destrutiva

3.    Autocrítica.

 

A pregação é a obra suprema e prioritária para os vocacionados ao ministério da Palavra.

As falhas existentes na pregação hoje:

a)    Falta de preparo.

b)   Falta de adequação as necessidades dos que ouvem.

c)    Uso excessivo de um palavreado cristão desconhecido da pessoa que ainda não é cristã.

d)   Falta de criatividade.

e)   Falta de clareza e adequação do texto

f)     Falta de praticidade pessoal, direta e dinâmica que tragam sugestões e soluções possíveis e simples de serem adotadas.