Discuta, quando valer a pena

Quanto enfrentamos uma dificuldade de relacionamento com alguém, em casa, no trabalho ou na escola, a pior coisa que podemos fazer é personalizar o assunto.

Em outras palavras, personalizamos quando tomamos uma discordância como sendo algo contra nós, quando se trata apenas de uma questão de ideias.

Numa reunião, por exemplo, apresentamos uma sugestão e alguém a contesta. Talvez ela não a faça nos termos adequados, mas não necessariamente esteja contra nós, apenas contra a nossa sugestão.

Se personalizamos a questão, da próxima vez que ela falar, já a interpretaremos equivocadamente. A partir daí, teremos um inimigo em quem poderíamos ter um amigo.

É falta de sabedoria discutir questões que não são relevantes. Uma boa pergunta que devemos nos fazer é a seguinte: que diferença, para minha família ou organização, fará, se a questão seguir um curso diferente do que eu acho melhor?

Se não estiver em jogo algo realmente importante, perderemos nosso tempo e faremos inimizades gratuitas.

Fonte: Prazer da Palavra