Na noite do dia 14 de agosto, o culto foi dirigido pelos jovens casados da Primeira Igreja Batista de Campo Grande. Após a chamada à adoração e as boas vindas aos membros, os louvores entoados pelo coral de dirigentes em questão – tocados em ritmo de forró – levaram animação, adoração e alegria.

Em seguida aos avisos semanais – vídeo disponível na página principal -, o Pr. Marcos Ramos relembrou o tema mensal: Mais Vida, refletindo sobre a celebração da vida que Deus tem para todos. Posteriormente, o grupo de louvor levou à igreja canções que relembraram a grandeza do Pai e seus projetos de vida abundante e gloriosa aos seus filhos.

Outro momento marcante da noite foi a celebração da formatura do curso “Casados Para Sempre”. Iniciando com um testemunho do casal Lúcio e Aparecida, o momento serviu para alertar a importância do estudo bíblico na vida conjugal. Ao finalizar o momento, Lúcio profetizou palavras de vitória a cada um dos formandos.

O sermão da noite, feito pelo Pr. Carlos Elias de Souza, possuía como versículo base Gênesis 2:24-25 e como tema o seguinte tópico: Casamento Sem Vergonha.

Ao iniciar, o pastor mostrou que somente Deus poderia ter criado algo tão sobrenatural como o matrimônio. A união de lares e princípios diferentes só frisa o quão importante é a presença do Senhor em qualquer relação (Marcos 10: 7-8).

Segundo a bíblia, Jesus deve ser o modelo do casamento e nenhum casal ficará casado para sempre sem os princípios de Deus (2 Co 4:6). Parafraseando Alexander Hodge, o pastor rememorou que qualquer pessoa que tenta construir um casamento fora dos princípios de Deus falha em sua missão.

Para demonstrar o porquê do casal citado no versículo base não ter se envergonhado, o preletor suscitou duas perguntas. A primeira pergunta era: “Por que não se envergonharam?”  O casal foi preparado um para o outro e, com isso, o valor do Senhor e a não vergonha do relacionamento ocorreu pela aliança dos dois, calcado num relacionamento espiritual forte. Deus honrou a aliança entre Adão e Eva e, por isso, não havia vergonha alguma.

A segunda pergunta, embasada no texto, era: “Quando surge a vergonha no casamento?” Após o pecado, a aliança fiel e o pacto com Deus foram quebrados. O casamento, então, passou a envergonhar ao homem e, principalmente, a Deus.

A mensagem continuou mostrando as consequências da vergonha e refletindo acerca da solução para esse problema. Ao procurar a solução para si, o casal fez roupas com a finalidade de cobrir suas vergonhas (Gênesis 3:7-8), porém, a verdadeira solução só foi apresentada quando Deus fez roupas para o casal (Gênesis 3:21), pois somente Ele sabia que nenhum preço havia sido pago.

É, portanto, correto dizer que o Senhor vestirá seus filhos com vestes de retidão (Ga 3:27/ Fl 3:21), mantendo, assim, o casamento alicerçado nas suas vontades e na sua fidelidade e exaltando o quanto é valoroso ter todos os relacionamentos sustentados Nele. Ao final do culto, o Pr. Marcos Ramos realizou a oração final e a concedeu a bênção apostólica.

Texto: Marllon Carvalho

Compartilhe: