CONVIVER

iv conviver pibcg   Seja bem vindo a 4ª edição do nosso CONVIVER – Congresso Viver e Vencer.

O nome deste Congresso tem sua origem no grupo VIVER e VENCER. Este é basicamente um ministério desenvolvido por um grupo de irmãos da terceira idade que se reúnem para exercitar sua fé e ao mesmo tempo desenvolver um espírito de comunhão fraternal.

A idéia do CONVIVER surge exatamente da origem de sua palavra: Viver em comum, ter convivência com e relacionar-se intimamente.  Nosso grupo procura viver e viver bem, buscando e promovendo a qualidade de vida.

Em sua classe gramatical, conviver é um verbo intransitivo. Mas, na nossa prática ministerial, conviver traz consigo a idéia de livre trânsito. É uma espécie de passe livre para transitar por todas as gerações. É a busca por qualidade de vida, independentemente de sua faixa-etária.

Agora se você acha que Conviver é simples. Não é não! Conviver é uma arte. “ A arte de viver é simplesmente a arte de conviver … simplesmente, disse eu? Mas como é difícil! (Mário Quintana). 

Conviver é um tipo do verbo regular. Assim me lembro que será preciso sempre regular as relações para que sejam evitados os conflitos inúteis e tolos.  Conviver no infinitivo é simplesmente conviver. Mas, o melhor de tudo é poder conviver no gerúndio, sabe como? Convivendo. Quem souber conjugar esses verbos passará pela vida com a firme certeza de no “particípio passado” ter convivido bem.

Conviver é uma arte. A arte de conviver é uma metodologia ensinada ao longo de nossa vida através de pequenas atitudes que nos são apresentadas como exemplos e modelos nas relações que estabelecemos com a família, a escola, o trabalho, o lazer, e certamente com os irmãos na igreja. É nesse momento que se torna necessária uma consistência no diálogo a fim de garantir uma troca eficaz de experiências onde se respeitem as diversidades com a consciência de que as mesmas podem caminhar juntas, obviamente, quando submetidas e aprovados pelo crivo da Palavra de Deus.

A arte de conviver depende do comprometimento pessoal com a valorização da vida e do viver, orientada pelos princípios bíblicos, e pelos valores dispostos na Palavra de Deus. Por posturas que reconheçam a nossa responsabilidade diante do mundo, através das nossas crenças, paradigmas, opiniões e ações. Quando assumimos este compromisso, novas maneiras de encarar o mundo surgem como consequência, refletindo em um pensamento mais flexível, criativo e inovador, que nos leva à realização pessoal e à possibilidade de sermos fiéis ao nosso potencial, qualidades e objetivos.

Desafio cada pessoa na busca por CONVIVER, a procurar nesta experiência maravilhosa viver a vida abundante que Jesus Cristo no concedeu. Disse Jesus: “ Eu vim para que tenham vida e vida em abundância”.  (João 10.10b).

Um abençoado Congresso. 

Pr. Carlos Elias de Souza Santos.