“Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre.”
1 Coríntios 9:25

Benefícios do Exercício Físico

corredor

 

 

 

 

 

 

 

benefícios-psicológicos-da-atividade-física

Em algumas de suas cartas Paulo utiliza como exemplo para suas mensagens os jogos olímpicos da antiguidade, os atletas e seus treinamentos rigorosos. Imagino com isso que ele assistia ou pelo menos ouvia falar das competições, que desde essa época encantava multidões de apaixonados pelo esporte.

O treinamento de atletas de alto rendimento realmente é algo rigoroso, o que não significa ter saúde. Pelo contrário, esses atletas se submetem a treinos que estão além de suas capacidades, o que gera lesões, fadiga e estresse excessivos. Alguns recorrem a anabolizantes para conseguir resultados e premiações cada vez melhores.

Na coluna anterior vimos que se exercitar com valores entre 50% e 60% da frequência cardíaca máxima (FC máx.) possibilita ter ganhos na saúde e reduzir fatores de risco para doenças crônicas. Mas quais são esses ganhos para a saúde? Existem efeitos agudos e crônicos do exercício físico. Os agudos ocorrem durante o exercício, como por exemplo aumento da frequência cardíaca (FC), aumento da frequência respiratória, aumento do débito cardíaco (quantidade de sangue que o coração ejeta em um minuto) entre outros.

Os efeitos crônicos são adaptações que o nosso corpo sofre para se adequar ao exercício. Ou seja, ao mudarmos nosso estilo de vida o nosso organismo se adapta a ele. Algumas dessas adaptações são:

– A FC de repouso diminui e o débito cardíaco aumenta, ou seja, nosso coração se torna mais eficiente, precisando trabalhar menos do que antes, diminuindo o risco de infarto agudo do miocárdio (IAM);
– O volume máximo de oxigênio (VO2 máx.) aumenta. Ou seja, passamos a conseguir captar mais oxigênio, tanto durante o exercício quanto em repouso. Isso é essencial, pois o oxigênio é de suma importância na reação química para produção de energia pela via aeróbica;
– A taxa metabólica de repouso aumenta. Passamos a consumir mais energia durante o dia, algo positivo para melhorar o perfil lipídico (reduzir triglicerídeos e os colesteróis LDL e VLDL).

Os benefícios da atividade física são inúmeros. Porém, feita de maneira incorreta pode gerar lesões, fadiga excessiva, além do risco de ter um IAM durante um exercício mais intenso do que o ideal para cada um. Recomendo que antes de começar a se exercitar, todos procurem a orientação de um profissional de Educação Física. Na próxima coluna abordarei o conceito de zonas alvo de treinamento e as relacionarei com os objetivos mais comuns ao se exercitar.

Hugo Barreto Facundo, professor de Educação Física.

Compartilhe: