Ao Mestre com Louvor

professor “Chegando à sua terra, ensinava-os na sinagoga, de tal sorte que se maravilhavam e diziam: Donde lhe vêm esta sabedoria…”  ( Mateus 13.54). Olhando para o ministério de Jesus, observa-se que o “Mestre por Excelência” priorizou o ensino no seu ministério. Na relação de ensino e aprendizado sabemos que quase sempre somos conduzidos a assimilar tudo que emana do mestre.

Por isso a importância do bom professor nesta relação. A humanidade inteira tem carência de bons professores, que não se limitam apenas a transmitir conhecimentos, acontecimentos históricos, fórmulas matemáticas ou as maravilhas do pensamento humano. O ensino é algo muito abrangente. Ensinar também, traz conflito, pois quando se fala à consciência, se instiga a rever conceitos, e conceitos são difíceis de serem alterados. O que pode causar contenta. Não foi diferente com o nosso Mestre e, não será conosco.

O papel do educador é muito mais amplo e precioso e por isso mesmo deve acompanhar o desenvolvimento intelectual do educando nas suas primeiras experiências diante das barreiras do mundo. Partindo da educação inicial, ministrada no primário, deve o professor encontrar meios para incutir na mente do aluno o gosto pelas matérias que o acompanharão durante sua existência. Das quais depende seu futuro.

Inicia-se daí para frente um aprendizado gradativo que tanto mais fervoroso será, quanto for marcante a personalidade e o caráter do mestre. O dia do professor não deve ser lembrado apenas no mês de outubro. Mas deve ser revivido a cada encontro cotidiano. Cada vez que o professor entra na sala de aula deve ser motivo de grande satisfação, pois é por seu intermédio que se pretende construir o conhecimento. Cada dia, cada hora deve ser uma consagração ao esforço do professor. Enfrentando intempéries, incompreensões, baixos salários e desajustes vários, o professor desempenha o seu papel de relevante importância, ensinando, formando caráter e aprimorando personalidades; seja nos bancos do Jardim da Infância ou nos anfiteatros das respeitadas faculdades.

Contribuir para a formação do caráter do jovem, que alça vôo em direção ao seu ideal é uma tarefa que enaltece o mestre e o faz sentir-se responsável pelo sucesso da pessoa, formada sob a inspiração dos seus conhecimentos. Nunca a civilização necessitou tanto de professores capacitados e inteligentes como no presente momento da tecnologia de ponta; cujas exigências são constante desafio para todos. Tanto no campo intelectual, como no que se relaciona com a formação da personalidade do aluno.

Querido professor: Donde lhe vêm esta sabedoria?  Ao tentar responder essa pergunta, lhes conto uma ilustração que ouvi sobre um missionário americano chamado David, que trabalha em uma aldeia de índios brasileiros, no norte do Mato Grosso, e que para chegar à aldeia faz 900 km, sendo deste, 400 km no meio da floresta, para ensinar aos índios, a Palavra de Deus.

Sendo ele lingüista, faz tradução do Bíblia para o dialeto dos índios em que faz missão.

Ele nos conta que para poder ensinar, teve que primeiro aprender, ouvindo e observando por 4 (quatro) anos a maneira de ser, de viver e de cultura daquele povo. Após o que ele, David, adquiriu o direito de ensinar aos índios.

Com isto, observamos que não só devemos fazer, mais apreender por primeiro, assim como o Nosso Mestre por Excelência o fez.

Disse Jesus: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo E APRENDEI DE MIM, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma”. (Mateus 11. 28-30).

A você professor secular e a você professor de nossa Escola Bíblica Dominical, recomendamos que aprenda com Jesus e certamente você estará capacitado para ensinar de forma a transformar vidas.

Feliz dia do professor!

Pr. Carlos Elias de Souza Santos.