No domingo passado, dia 08/01, com o prelúdio feito pela orquestra, teve início mais um culto da noite da PIB de Campo Grande. Após a leitura bíblica feita em Salmos 57.5, 9-11, a Equipe de louvor ministrou a adoração com as músicas: “Louvor” (385 CC – Souza – Gabriel), “Eu me alegrarei” (Redman), “Lugar Seguro” (Barros).

O Pastor de Integração e visitação, Adiel Gomes, conduziu a leitura bíblica em Jeremias 29.11-14a. Após, a igreja levantou um clamor a Deus por suas causas, com a música Invoca-me (Trazendo a Arca). Durante o culto, os irmãos: Kildere e Pedro Guedes receberam seus certificados de bastimos, os mesmos foram entregues pelas mãos de seus pais. Em seguida, o pastor desafiou a igreja com um projeto: de trazer mantimentos para igreja, sendo um quilo seu e mais quatro de seus amigos, de preferência não crentes. A ideia é aproveitar essa oportunidade para apresentar nossa igreja e o trabalho social que desenvolve. O momento do ofertório foi feito com a música: “Tu é fiel Senhor” (25HCC – Chisholm- Runyam). Na ocasião, o irmão José Augusto orou pelas ofertas.

A mensagem foi entregue pelo Pastor de famílias, Anderson Maciel. Com o tema: “Anunciando o reino com o poder de Deus”, ele pregou com base em Lucas 5. 27-32: “Depois disso, Jesus saiu e viu um publicano chamado Levi, sentado na coletoria, e disse-lhe: ‘Siga-me’. Levi levantou-se, deixou tudo e o seguiu. Então Levi ofereceu um grande banquete a Jesus em sua casa. Havia muita gente comendo com eles: publicanos e outras pessoas. Mas os fariseus e aqueles mestres da lei que eram da mesma facção queixaram-se aos discípulos de Jesus: ‘Por que vocês comem e bebem com publicanos e ‘pecadores’?’ Jesus lhes respondeu: ‘Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento”.

Os fariseus zelavam pela lei diuturnamente, os mestres tinham um enorme conhecimento e os publicanos eram do povo judeu mas serviam a Roma. Os fariseus queriam dizer que Deus era uma farsa, com ousava se sentar com eles? “E quanto a nós, qual seria o nosso questionamento hoje? “, enfatizou. Como Jesus, um homem com um discurso duro, que veio para por tudo em ordem atraia tantos pecadores, e como eles se sentiam inseridos ao lado do Mestre? “Os de fora nos veem como a comunidade do “nada pode” . Gostamos da lei para os outros, mas para nós queremos misericórdia. O que está havendo com a gente que o legalismo impera e não sabemos lidar com poder de Deus? Estamos com expectativas erradas de Deus e de como é viver uma vida de santidade. O que é uma vida que agrada a Deus? “, declarou.

Nos esquecemos que Deus também tem expectativas sobre nós. As lógicas erradas, fazem com que usemos errado o poder de Deus, invés de unir estamos repelimos. Jesus usava do seu poder para se expor. Um poder focado em vidas, nunca por motivos egoístas, pois sua motivação era sempre salvar. Jesus não queria debater Teologia, Ele queria salvar vidas. Você é aquele que onde está todo mundo se aproxima ou se afasta? Finalizou: “É hora de abraçar, de agregar, de atrair, de estar no meio deles e fazer a diferença. De dizer: não te condeno, mas quero te amar, quero andar com você duas milhas. Isso sim, é viver o poder de Deus”.

O culto foi encerrado ao som da música: “Poder do teu amor” (Diante do trono) e com a oração do Pastor Lucas.

Texto: Aline Ferreira

Compartilhe: