Vida nas Mãos de Deus

“Entregue o seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá” (Salmo 37.5)

 

Três ações, duas do homem e uma de Deus.

Entregar é deixar alguma coisa aos cuidados de alguém. Em aeroportos é comum crianças viajando sozinhas. Os pais tomam todas as providências burocráticas e, de repente, chega alguém da Companhia Aérea apresenta-se aos pais e leva a criança para o embarque. Daí em diante a passageira mirim está na total dependência da Companhia. É a figura exata da entrega – os pais entregam sua criança e vão embora descansados sabendo que no fim da viagem ela será recebida por alguém autorizado e identificado. Entrega pressupõe confiança. Ninguém entrega um filho, seu bem mais precioso, se não confiar que as pessoas que vão acompanhá-lo são idôneas.

Ninguém se entrega a um cirurgião que não seja de sua confiança por conhecimento ou por boa informação. Depois que o paciente está no centro cirúrgico, anestesiado, é a vez dos médicos e seus auxiliares agirem. O paciente já não decide, nem opina sobre a sua vida.

Assim deve ser conosco – entregamos nossa vida a Deus e descansamos tranquilamente. Confiamos no seu poder, na sua sabedoria e amor, na sua vontade perfeita. Aí acabam nossas ações – o resto é com Deus. Toda a ação agora é dele. Isso é o melhor que temos a fazer, pois não há lugar mais seguro para se estar do que nas mãos de Deus.

Fonte: Manancial