Tempo de Unidade para Salvar a Cidade

urbanas 2011  Tudo começou em 2007. No dia 07 de julho daquele ano, depois de votação pela internet, foram anunciadas as “Sete Maravilhas do Mundo Moderno”. Entre os monumentos escolhidos, estava o Cristo Redentor, localizado na nossa cidade.

Naquele mesmo ano, nossa cidade foi sede dos XV Jogos Pan-Americanos, onde durante os dezessete dias de competição, 5633 atletas de 42 países competiram em 332 eventos de 47 modalidades.  No próximo dia 16 de julho, começam os V Jogos Mundiais Militares que também serão realizados em nossa cidade. A Vila Olímpica, inclusive, está sendo construída em nosso bairro de Campo Grande.  Mas não é só isso.

 

Em 02 de outubro de 2009, o Rio de Janeiro foi escolhido como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Pela primeira vez,  a competição esportiva mais importante do planeta será realizada na América do Sul.  Para completar o Rio de Janeiro também estará no centro das atenções durante a Copa do Mundo de 2014, pois nossa cidade será a sede do “Centro de Imprensa” e o estádio do Maracanã será o palco da grande final. Até o combalido futebol carioca recuperou o seu fôlego no cenário nacional conquistando os dois últimos campeonatos brasileiros (Flamengo em 2009 e Fluminense em 2010).

Fora do campo esportivo, a cidade também está em evidência. Estreou esse ano nos cinemas de todo o mundo, o desenho animado Rio, sucesso absoluto de bilheteria, tendo arrecadado cerca de 470 milhões de dólares só nos cinemas, sem contar o licenciamento de produtos e a venda de DVDs. Além disso, há o malfadado Rock in Rio. Mas sobre esse evento não vale a pena nem comentarmos.

Com todos esses fatos notamos que nossa cidade está no centro das atenções mundiais, como nunca antes em sua história. Uma avaliação superficial até pode nos fazer pensar que tudo está melhorando. Mas será? Ao caminharmos por nossa cidade, notamos que muitos problemas que nos afligem continuam os mesmos: Violência (que com as UPPs tem migrado para outros cantos da cidade),  pobreza, desemprego, drogas, menores abandonados, prostituição (inclusive infantil), moradores de rua, as centenas de mortes que as chuvas de verão causam todos os anos, etc.

Como Igreja de Cristo precisamos avaliar nosso tempo com prudência. Não podemos acreditar na ilusão de que tudo será resolvido pelo poder público.  Ainda que algumas coisas possam melhorar através da atuação política (eu creio que isso é possível), a Igreja de Cristo é desafiada a continuar exercendo sua função profética na sociedade, denunciado o pecado, combatendo as consequências sociais do pecado e principalmente, apontando a solução para o pecado: Jesus Cristo. É preciso que a Igreja faça a diferença. Mas como?

 O tema da campanha de Missões Urbanas nesse ano, indica o caminho: “Tempo de Unidade para salvar a Cidade” (Jo.17.23). Esse tema fala de dois grandes desafios da Igreja. Um é o desafio da evangelização. É o desafio de levar as boas-novas aos que necessitam. O outro, é o desafio da comunhão. É o desafio de mantermos a unidade, para que o mundo perceba Deus em nossas vidas.  O desafio da evangelização tem sido vencido. Será mesmo? É fato que nunca o evangelho foi tão pregado em nossa cidade. Mas e o desafio da comunhão? É aí que estamos sendo derrotados. Nunca houve tantas facções e dissensões nas igrejas, como nos dias de hoje.

 Que possamos acordar como Igreja do Senhor para essa realidade.  É tempo de unidade! É tempo de entender que para fazer a diferença em nossa cidade, comunhão e evangelização precisam caminhar lado a lado. Para tanto, que o Espírito Santo de Deus nos capacite para ambos os desafios.

 

                                                                                  Pr. Elber Costa Macharetti