Jovens e Adolescentes

O Brasil possui 51 milhões de jovens entre 15 e 29 anos. Os dados são de uma pesquisa recente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), do Ministério do Planejamento, que ainda revela a baixa escolaridade, o desemprego e a miséria que afetam os jovens brasileiros. Os ministérios que trabalham com esta faixa etária nas igrejas precisam estar preparados ajudar esses milhares de jovens e adolescentes expostos a problemas sociais, familiares e psíquicos.

 

 

Dados sobre a juventude: “para refletir”
O contexto em que vive o jovem brasileiro também deve ser considerado pela liderança de ministérios e das igrejas. Os dados do IPEA revelam baixa escolaridade, desemprego e miséria como problemas que afetam grande parte dos jovens brasileiros. A assistente social evangélica Franqueline Terto, de Alagoas, atua em políticas públicas de juventude na Rede FALE e considera os dados “preocupantes”. Como jovem, acredita que as informações são “para refletir sobre o nosso futuro”.

 

Os dados abaixo foram selecionados e divulgados em artigo do diretor-presidente do IPEA, economista Marcio Pochman, no jornal Valor Econômico:

– Há 51 milhões de jovens brasileiros entre 15 e 29 anos.
– 66% deles estão fora de salas de aula.
– Apenas 13% deles estão cursando curso superior.
– Apenas 48% dos que têm 17 e 18 anos estão estudando no Ensino Médio.
– A principal causa alegada para não estar estudando, entre os homens é ter que trabalhar para ajudar a família; entre as mulheres, a gravidez.
– 46% deles estão desempregados.
– E 50% dos 54% que estão empregados trabalham sem carteira assinada. Ou seja, do total de jovens, apenas 27% têm emprego com carteira assinada, e por tanto direitos trabalhistas e previdenciários. O que no futuro lhes trará muitos problemas.
– 31% de todos eles podem ser considerados miseráveis, pois possuem renda per capita inferior a meio salário mínimo.
– 70% dos jovens considerados pobres, são negros.