Bolinhos de Gratidão

Ele se tornou alto funcionário de uma estatal brasileira, tendo chegado à presidência.

Na sua casa, trabalhava uma senhora.

Esta senhora tinha um filho. 

Ela sonhava que o seu filho trilhasse um caminheiro diferente do seu. Estudava numa escola pública e podia ter um futuro bonito. Sua mãe acreditava nele.

Um dia, tomou coragem e perguntou ao seu patrão:

— O que podemos fazer para meu filho trabalhar na sua empresa?

A resposta deu início a um novo ciclo de vida.

— Peça pro garoto ir lá no meu escritório, que eu explico para ele.

O garoto foi.

O executivo lhe mostrou a empresa, falou de sua carreira e deixou claro que só havia uma maneira de entrar nela: por concurso. Concurso que demandava muito estudo.

O garoto decidiu que estudaria muito.

Estudou. Fez o concurso. Passou.

Desde então, não trabalhando mais com aquele alto funcionário, ela lhe mandava um bolo no seu aniversário. Era sua forma de agradecer.

O homem lhe disse uma vez que não era necessário, que não tinha feito nada para receber aquele reconhecimento.

Mas ela continuou lhe enviando os bolinhos.

Fonte: Prazer da Palavra